A força da carne sobre a alma não a concebeu Platão à maneira da parede diante do seu prisioneiro, mas como a lenta e irresistível força desfiguradora das ondas marinhas. 


María Zambrano
a metáfora do coração e outros escritos

Sem comentários:

Enviar um comentário