Há assuntos que tentam corrigir-me a gramática:
relatar a angústia do meu pai
quando vê um cavalo e recorda o acidente
de carro e das vértebras, a minha falta de dinheiro
em algumas noites onde acabei em casas de banho alheias
e linha a linha teci a minha sina,
a minha irmã a oferecer-me um desenho à Klee,
a leitura narcótica do Pobre Tolo,
a recordação de me despejares de casa
e o passeio que fiz nas ruas da cidade
quando percebi que me faltava a amada
e o tecto.

Há mil e um relatos a serem feitos nas proporções certas,
mas como tudo que é ameaçado pelo estado natural das coisas
há acontecimentos desalinhando as simetrias procuradas.

Até que o meu ódio e os meus amores batam certo
tudo são pormenores. E ao boi coroado é perdoado
o estrago à feitura dos homens.

Assim me sussurra uma voz
quando pego na régua e no dicionário.

Sem comentários:

Enviar um comentário